Dicas para o vidraceiro: 8 passos que irão ajudar na execução da instalação perfeita


Alguns cuidados que vão desde a escolha dos materiais ao preparo do local da obra e manutenção são determinantes para o sucesso de um sistema com vidro

11/03/2019

1-Definição dos vidros e produtos adequados

Primeiro de tudo utilize o tipo e espessura de vidro adequados. Para garantir a segurança de seu cliente e a sua credibilidade profissional, é essencial seguir as recomendações das normas técnicas. A norma técnica exige, por exemplo, para box de vidro, portas e divisórias, o temperado, já para guarda-corpo o vidro indicado é o laminado ou aramado, também considerado um vidro de segurança.

 

Porém, para proporcionar máxima segurança podem também ser aplicados os vidros temperados e laminados em guarda-corpos e vidros laminados em boxes de vidro. A norma orienta o mínimo necessário para a segurança, o que não quer dizer que esse requisito não possa ser reforçado, desde que não se exagere para não onerar o orçamento.

 

Não basta utilizar o vidro correto como orienta a norma se ele for instalado de forma incorreta. É preciso analisar o tipo de ancoragem, por exemplo, se é química ou mecânica. As normas técnicas também fazem essa orientação. No caso de guarda-corpos, a NBR: 14718 diz: ‘Os inserts, os pinos, os chumbadores, fixo ou de expansão e as grapas de fixação dos guarda-corpo, a laje de piso ou a cinta de concreto devem ser em aço inoxidável AISI 302, 304 ou 316. Esta exigência é aplicável aos demais parafusos que forem utilizado’. Confira alguns fornecedores no Guia de Fornecedores Vidro Impresso

 

Para consultar as normas técnicas, basta entrar em contato com a ABNT. Vidraçarias de pequeno porte possuem desconto na compra das normas técnicas. Algumas dessas normas são compartilhadas também entre vidraceiros que não podem arcar com os custos. Veja algumas das importantes normas a serem consultadas.

 

ABNT NBR 7199- Projeto, execução e aplicação do vidro na construção civil

ABNT NBR 14697-Vidro Laminado

ABNT NBR 14698 – Vidro Temperado

ABNT NBR 14207 — Boxes de banheiro

ABNT NBR 16259-Envidraçamento de sacadas

ABNT NBR 14718 – Guarda-corpos para edificação

 

2-Preparo da obra

Antes de tudo faça uma medição precisa. Na hora de tirar as medidas é importante que estas sejam muito precisas e definidos previamente os pontos de perfuração para evitar retrabalho e provocar danos irreversíveis no local de instalação.

 

A medição tem que ser milimétrica, marque corretamente antes de fazer qualquer furo, pois depois que chumbar será difícil realizar ajustes. Uma dica é criar um gabarito com uma placa de mdf para simular o vidro, pois este é um material muito caro e não podem haver erros, por isso a utilização da placa de mdf é uma dica importante.  

 

Calcule também corretamente as folgas com as marcações de forma organizada para agilizar a instalação. Faça os cálculos de folgas precisamente para a estrutura ficar firme e segura após definir a largura do vão esquadrejado com o máximo de precisão. As folgas são necessárias pois o vidro, as ferragens e componentes se expandem e se movimentam com as variações de temperaturas, podendo comprometer a instalação. O recomendado é ter no mínimo 5mm de folga, mas cada tipo de instalação tem uma orientação específica em sua norma.

 

 

Utilize também calços de qualidade, pois este tem a função de manter a lamina do vidro em uma posição adequada em relação à cavidade de alojamento previstos nos perfis da folha e evitar o contato direto com materiais que possam causar danos ao vidro. No momento de escolher o melhor calço, é preciso considerar as dimensões do vidro para que os calços suportem um peso maior que somente o vidro.

 

3-Fixação e vedação

Faz parte do preparo da obra a limpeza do local, peças e vidros. Antes de iniciar a instalação, é importante limpar os vidros para não ter problemas de colagem. A limpeza dos vidros deve ser feita com água limpa, detergente neutro e pano seco, evitando produtos abrasivos ou ácidos. Além disso, deve evitar o uso de produtos agressivos para marcação ou identificação, mesmo que provisória, durante a instalação.

 

A área de aplicação do adesivo deve obedecer a orientação do fabricante com relação às cargas suportadas por quantidade de adesivo aplicada, de acordo com a ABNT NBR 15.737. Deve-se ainda obedecer o tempo de cura do adesivo estipulado pela fabricante. A fixação mecânica deve ser feita com parafusos inoxidáveis e os parafusos devem ser aplicados entre o alumínio e a alvenaria e alumínio e alumínio. Eles devem ser adequados em relação a sua espessura e comprimento para alcançarem a viga de concreto e o furo da viga ser compatível com este comprimento.

 

Quando os silicones e as borrachas são aplicados inadequadamente eles podem comprometer a vedação e provocar vazamento de água para dentro da estrutura. Se a escolha for pelo silicone é preciso colocar nas bordas do vidro uma fita adesiva, impedindo respingos do material e garantindo melhor acabamento. Já se escolha for pela borracha, deve-se evitar esticar o material, que pode comprometer a acomodação do vidro e o preenchimento do perfil. De acordo com norma, as guarnições devem se adaptar as dilatações, deformações e vibrações causadas por ações mecânicas ou variação de temperatura.

4- EPIs e ferramentas adequadas

Para um vidraceiro garantir um serviço eficaz precisa estar bem equipado, com todas as ferramentas necessárias. Primeiramente, com ferramentas para uma medição precisa. Para sua segurança, é imprescindível possuir os equipamentos de proteção individual - EPI.

 

5- Preço garante qualidade

Qual vidraceiro nunca ouviu uma réplica do cliente do tipo: “Está muito caro, a vidraçaria tal cobra metade”.  E na tentativa de garantir o serviço, você abaixa o valor, reduzindo seu lucro praticamente a zero. Mas será que seu concorrente executa a obra dentro das normas técnicas e com produtos de qualidade? Será que ele sabe exatamente o que está fazendo, está preparado para imprevistos e dá garantia?

 

O preço deve ser proporcional à qualidade do serviço que está oferecendo e compensar seu investimento no conhecimento que precisou adquirir para executá-lo com excelência. Como se trata de uma instalação básica que toda vidraçaria oferece, a concorrência de um box de vidro, por exemplo, é muito maior. Se capacitar para oferecer um serviço de excelência, que não resultará em problemas e acidentes mais graves vai fidelizar seu cliente e valorizar seu trabalho. Em vez de se igualar a um serviço de má qualidade para ganhar a guerra de preços, invista em sua carreira e valorize o que o diferencia.

 

Saber quanto cobrar é muito importante, mas não caia na ilusão de que quanto mais barato cobrar mais chances de faturar. Se cobrar muito abaixo do que deveria provavelmente não vai ter lucro, ou deverá, para compensar, ter que usar produtos de qualidade inferior.

 

Cobrar barato demais desvaloriza seu trabalho e você não vai ganhar dinheiro. Não é assim que se conquista um cliente. Tem que contabilizar tudo para ter lucro. Tem que contemplar tudo que foi gasto em vidros e ferragens e considerar de 70 a 85% a mais para embutir gastos como transporte, estrutura e ferramentas, e ainda ter uma lucratividade condizente com seu trabalho. Na pior das hipóteses considere 50%.

 

6-Manutenção e conservação

Mesmo que a instalação não apresente qualquer tipo de problema ou irregularidade em seu funcionamento, é recomendável fazer uma manutenção preventiva a cada 12 meses. Também é importante orientar o cliente sobre sua limpeza e conservação. O vidro é forte, mas não é inquebrável. Por isso, alguns cuidados básicos na manutenção e limpeza são fundamentais para evitar acidentes. A limpeza do vidro também deve ser feita com cuidado para não provocar arranhões. Informe o cliente sobre os procedimentos adequadas, para que este use produtos específicos para vidro temperado, pano macio e água morna e limpa do próprio chuveiro. Nunca devem ser utilizados produtos com cloro ou abrasivos, pois podem provocar graves danos aos sistemas.

 

7- Antenado nas tendências

O vidraceiro tem que observar as necessidades e possibilidades que visualizou na casa do cliente e sugerir produtos adicionais. Por exemplo, você foi chamado para fazer um box de vidro, mas verificou que o banheiro ainda não tem um espelho, que no box podem ser colocadas prateleiras de vidro, ou até uma janela precisando de reparos. Nunca se limite à apenas o que o cliente pediu. Ofereça também produtos diferenciados dentro do que foi solicitado, como um vidro impresso, serigrafado, acústico ou de controle solar, por exemplo, de acordo com a necessidade. O cliente não sabe que quer algo que ele desconhece ou que não lhe foi apresentado.

 

Para isso precisa estar antenado às novidades, acompanhar outros projetos e conhecer tendências do mercado, saber trabalhar com vidros e ferragens diferenciadas para oferecer produtos de maior valor agregado que podem dar um up no seu orçamento. As empresas do ramo sempre estão lançando novidades em relação à acessórios, kits, tecnologias e aplicabilidade de produtos. Há também os vidros especiais, como de controle solar, insulado, serigrafados, etc. Se informe sobre tudo que acontece na sua área para aumentar o leque de opções para o cliente.

Fonte: Revista Vidro Impresso

Quer saber mais como se tornar um vidraceiro de sucesso? Conheça os nossos cursos voltados para a área! Clique aqui e confira.

Compartilhe:


Leia Também:













































(11) 3856-0800

(11) 95022-6469

Entre em contato conosco e conheça todos os nossos cursos para vidraceiros, datas, valores de investimento e conteúdo programático de cada módulo.

Siga-nos!